• lurdes antunes

Se chegou à pouco à área da Qualidade esta poderá ser uma das suas dúvidas.


Há uns anos atrás escrevi um artigo para um Jornal nacional. O texto era sobre Sistemas de Gestão da Qualidade e suas vantagens.


Durante todo o artigo falei de várias coisas, ... falei do Sistema da Qualidade, da política da Qualidade, do Manual da Qualidade(que à data ainda era obrigatório), dos objetivos da Qualidade,...


Não sei se já escreveram para órgãos de comunicação social mas regra geral acontece uma coisa gira; eles limitam-nos o texto dizendo que tem que ter no máximo n caracteres. Nós damos voltas e mais voltas para conseguir escrever o que pretendemos com a limitação que eles impõem. E depois preparamos-nos... porque a seguir eles escrevem à maneira deles, dão voltas ao texto, adulteram o sentido,... enfim, dizem eles que estão a fazer o trabalho deles.


Então nesse dito artigo, quando o Jornal saiu, afinal eu tinha falado do Sistema de Qualidade, da política de Qualidade, do Manual de Qualidade, dos objetivos de Qualidade,...


Claro que estes senhores alteraram porque eles acharam que, eu que supostamente fui convidada para escrever por ser da área, afinal não sabia o que estava a fazer,... digo eu que às vezes também tenho mau feitio...


O Sistema do qual falamos é o Sistema da Qualidade. Do tema Qualidade. Se ele é de qualidade ou não é o que veremos ao longo tempo.


O Manual do qual falamos é o Manual da Qualidade. Do tema Qualidade. Se ele é de qualidade ou não pode depender do tipo de papel, do aspeto, do conteúdo,...


Era destes que eu estava a falar. Do Manual da Qualidade, da Política da Qualidade, do Sistema de Gestão da Qualidade,...


E não, não é só uma coisa da minha cabeça. O título NP EN ISO 9001:2015 é Sistemas de Gestão da Qualidade, o título da cláusula 5.2 é Política da Qualidade, o título da Cláusula 6.2 é Objetivos da Qualidade e planeamento para os atingir,...


Por favor não chame Política de Qualidade à Política da Qualidade da sua empresa. Nem Manual de Qualidade ao Manual da Qualidade, nem, nem...

E acredite que isso pode ser um passo importante para que todos esses elementos sejam de Qualidade.

  • lurdes antunes

Tanto se diz sobre liderança.


Tantos livros se escrevem, tantas ações de formação se fazem, tantas técnicas se ensinam...


Há quem pense que liderança tem a ver com a função que assumimos, com o dinheiro que ganhamos, com o título que nos deram...


Para mim, liderar é fazer com que as pessoas à minha volta façam de forma livre, com um grande sorriso no rosto e com o coração cheio de orgulho tudo aquilo que elas sempre disseram que não seriam capazes de fazer ou não se sentiam motivadas a fazer.


Fizeram não porque as obriguei, não porque as tenha manipulado mas porque consegui influenciá-las, quer pelo meu exemplo quer pela credibilidade que consegui transmitir.


Liderança tema ver com valores e princípios e com a forma como os consigo praticar. Tema ver com coerência.


1 visualizaçãoEscreva um comentário
  • lurdes antunes

Na NP EN ISO  9001, a cláusula referente à Política da Qualidade apresenta duas partes; uma(5.2.1) sobre a definição da Política da Qualidade (do seu conteúdo) outra(5.2.2) mais relacionada com a sua implementação.



5.2.1 Estabelecer a política da qualidade

A gestão de topo deve estabelecer, implementar e manter uma política da qualidade que:

a) seja adequada ao propósito e ao contexto da organização e suporte a sua orientação estratégica;

b) proporcione um enquadramento para a definição dos objetivos da qualidade;

c) inclua um compromisso para a satisfação dos requisitos aplicáveis

d) inclua um compromisso para a melhoria contínua do sistema de gestão da qualidade.

5.2.2 Comunicação da política da qualidade

A política da qualidade deve ser:

a) disponibilizada e mantida como informação documentada;

b) comunicada, compreendida e aplicada dentro da organização;

c) disponibilizada às partes interessadas relevantes, conforme adequado.


Ao analisarmos 5.2.1 podemos concluir que são dadas algumas orientações em a) e b) e em são colocadas duas exigências de conteúdo em c) e d). Estas últimas começam pela palavra incluir o que na prática significa que as organização estão obrigadas a incluir na Política da Qualidade dois compromissos: o compromisso de cumprir os requisitos aplicáveis e o compromisso de melhorar continuamente o Sistema de Gestão da Qualidade.

O restante são obrigações que a Organização tem que cumprir mas não precisam estar escritas no texto.


A organização deve definir uma Política da Qualidade  cujo conteúdo seja adequado ao propósito da organização. Uma boa parte das organizações tem o seu propósito definido na declaração de Missão. Se isso acontecer devemos ter o cuidado de escrever uma Política que esteja em sintonia com o conteúdo da missão. 


À falta de uma missão claramente definida é importante que tenhamos o cuidado de definir uma Política da Qualidade que se enquadre com a finalidade da organização, do seu negócio, da sua cultura.


Costumo dizer que uma politica está adequada ao propósito da organização se a lermos e, sem saber a que organização diz respeito, conseguirmos identificar pelo menos que tipo de atividade desenvolve a empresa e o que valoriza.


Uma outra exigência é que a Política possa ser um suporte à definição de objetivos da Qualidade.


Observando estas exigências, para além dos compromissos de c) e d) a organização é livre de assumir os compromissos que considerar pertinentes a cada momento. É a organização, mais propriamente a Gestão de Topo que define quais são.

A definição da Política da Qualidade ainda deve ter em consideração o seguinte:

- linguagem usada: deve ser escrita numa linguagem simples e clara de forma que seja possível cumprir o definido em 5.2.2 nomeadamente a necessidade da Política ser entendida pelos colaboradores da organização;


-  deve ser um texto dinâmico que se vá renovando em simultâneo com as alterações/evoluções ocorridas na Organização;

-  os colaboradores, a todos os níveis da organização, devem ter consciência da política da qualidade e dos pontos aí abordados assegurando a sua compreensão e implementação;


-  os meios utilizados para tornar a política pública devem ser identificados pela organização e podem variar de local para local;


- também é necessário que a política seja comunicada a todos os colaboradores da organização ou que trabalham em nome desta, tais como empresas subcontratadas, profissionais com contratos de trabalho temporários e profissionais a exercer funções remotamente, e se estes estão conscientes das implicações que a mesma tem para as atividades que desenvolvem na organização.

0 visualizaçãoEscreva um comentário

​© 2019 por Lurdes Antunes.

  • w-facebook
  • Twitter Clean
  • w-googleplus